100% de aprovação nos exames em Cambridge

Sala de Imprensa

  • A escola de inglês ideal
  • Todo o cuidado é pouco na hora de escolher uma escola de inglês. Além da localização e do investimento, é necessário verificar a carga horária, o nível dos professores, a metodologia de ensino e a quantidade de alunos dentro da sala de aula. Mas como fazer isso quando "ensino de línguas" não é a sua praia? Vamos por partes:

    É prudente desconfiar das instituições que "vendem" métodos rápidos a preços arrasadores. Ensino de línguas é educação que não se vende como uma mercadoria qualquer. O tempo vale dinheiro e caso se faça a escolha errada,o barato pode sair caro e o tempo perdido e investido, com certeza não será recuperado.

    O professor é a chave mestra de uma escola de qualidade. Ele deve ter algum certificado internacional de proficiência na língua, como os oferecidos pela Universidade de Cambridge, ou de Michigan. Solicitar o currículo dos professores da escola é o primeiro passo para a escolha certa. Quando nativos, precisam ter cultura e treinamento na área. O ideal é que também tenham formação universitária. Imagine dentre o seu grupo de amigos, todos brasileiros fluentes e cultos, quantos estariam qualificados para dar aulas de português. O mesmo raciocínio vale para o bom professor de inglês. Ser nativo não basta: é preciso saber ensinar e melhor ainda, conhecer as dificuldades específicas que um falante de português tem ao aprender inglês. Além disso, o professor deve falar somente inglês dentro e fora da classe, estimular todos a participarem e corrigir erros sem jamais constranger seus alunos.

    O número de alunos dentro da sala de aula deve ser pequeno, de no máximo 8 ou 10 pessoas, para possibilitar a todos a participação ativa e espontânea nas aulas.A premissa de que "só quem se escuta é que aprende a falar" deve ser uma condição básica numa escola de idiomas. Alunos tímidos se escondem numa classe com muitos elementos. Um outro ponto crucial é a idade dos alunos numa classe: o aluno deve estudar em uma classe em que os colegas sejam da mesma faixa etária, de modo que os interesses sejam comuns e assim se sinta à vontade para falar e se comunicar no novo idioma. Escolas que misturam adolescentes e adultos na mesma turma, não têm como objetivo otimizar a oportunidade de aprendizado. Normalmente o resultado dessa política é a desmotivação e o consequente desinteresse.

    O aluno deve se sentir motivado a ir à escola. Para que isso ocorra, as aulas devem ser dinâmicas e variadas, jamais monótonas e repetitivas. Temas atuais, inserção de músicas, uso de filmes e atividades no computador são ferramentas importantes para enriquecer um curso de línguas e torná-lo estimulante para seus alunos. Principalmente em uma classe de crianças e jovens, o professor deve criar situações propícias para o despertar da criatividade e da imaginação.

    O material didático utilizado deve estar de acordo com a faixa etária do aluno. Um livro cheio de desenhos e figuras coloridas é muito infantil para um adulto, do mesmo modo que um livro que só apresenta texto é muito árido para uma criança pequena.

    Aparência não quer dizer qualidade de ensino. Existe hoje em dia uma tendência a se relacionar o invólucro com a qualidade do produto a ser oferecido. Isso vale na hora de se comprar um doce, mas pode ser muito perigoso como referência para a avaliação de uma escola de línguas. Se a escola é boa e bonita, tanto melhor. Se tem equipamentos de última geração, ótimos professores e metodologia de ponta, é o ideal. Mas de nada vale só aparência e aparelhamento numa instituição de ensino, se o material humano não está à sua altura.

    E por fim, para se adquirir um bom conhecimento da língua é necessário estudar, no mínimo, 600 horas. E não basta somente freqüentar as aulas e fazer a lição de casa para falar inglês fluentemente; é preciso realizar atividades extras, como leitura, ouvir música, surfar na internet e, se possível, assistir a filmes sem legenda. A boa escola de idiomas é responsável por incentivar seu aluno a ir além da sala de aula.

    Informações para a Imprensa:
    Day by Day – Curso de Inglês
    Responsável: Lúcia Vidigal
    Telefax: (11) 3816-1102
    e-mail: lucita@daybyday.com.br



Vídeo

Aulas práticas e com um sabor diferente!

Day By Day News

Coletânea dos melhores textos produzidos pelos nossos alunos de 10 a 17 anos

Day by Day • Av. Pedroso de Morais, 967 - Pinheiros - São Paulo - SP - Tel.: 3816 1102 • Política de Privacidade • Todos os direitos reservados